Palavras

É com elas que convivemos, são elas que nos alimentam os dias, sem elas o mundo seria mudo.

Gosto de palavras, de escrever sobre palavras e de ler sobre palavras. Há uma frase, numa crónica de Gonçalo M. Tavares, que exprime claramente o que sinto: “O dicionário, com os seus milhares e milhares de palavras, pode ser entendido como um depósito contra o esquecimento, um enorme arquivo 1.” É isto mesmo! Procurar palavras num dicionário é salvá-las do esquecimento!

Gosto de folhear os dicionários em busca de novas. Deixo que os meus olhos se percam percorrendo todas as filas e parem nas palavras que os atraem. Nele, travo conhecimento com palavras grandes e palavras pequenas, com palavras perturbadoras e palavras agradáveis, com palavras sofisticadas e palavras simples, com palavras leves como uma pena e pesadas como rochedos, com palavras perfumadas e delicadas como as rosas, com palavras com garra, com palavras esvoaçantes. Algumas são ridículas. Outras são alegres e divertidas. Ainda há outras cheias de afetos. Também as há inteligentes, plenas de sabedoria, mas também encontro palavras feias, agressivas, palavras cruéis.

Gosto da sonoridade de certas palavras. Do som cristalino das palavras com is. Da meiguice de certas palavras com g. Gato. Do estrondo de algumas palavras com rr. Garra. Gosto do som da palavra mar e da luz da palavra sol. Gosto da paz que emana da palavra paz e da força que vem da palavra luta. E de chuva. Gosto da música da chuva!

Gosto mesmo de arrecadar palavras! Nos dicionários que folheio, nas conversas que ouço, nos filmes que vejo, nos livros que leio! Divertem-me, emocionam-me, inspiram-me, preenchem-me!

O que poderiam as pessoas fazer sem palavras para se compreenderem? Sem palavras não é possível falar bem, nem ter ideias e ninguém conseguiria exprimir-se com clareza. Sem palavras o mundo desabaria. Não se resolveriam conflitos nem se fariam negociações de paz. A vida seria silêncio e o silêncio tornar-se-ia ensurdecedor. Sem palavras viveríamos no deserto. Seria o vazio.

Julho 2020

Ana Paula Oliveira

Leave a Reply

Obrigado pr subscreveres a nossa página!

Algo está errado! Tenta de novo, por favor!

A Casa do João will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.
%d bloggers like this: