Confinamento pode aumentar risco de miopia

Levar um estilo de vida cada vez mais sedentário e ter exposição excessiva e inadequada a dispositivos são dois fatores de risco que pioraram durante o confinamento e que podem levar a um aumento sério de problemas de saúde visual, principalmente em crianças e adolescentes, garantem especialistas da Escola Terrassa de Ótica e Optometria (FOOT) da Universidade Politécnica da Catalunha – BarcelonaTech (UPC) em comunicado, no qual também dizem que a miopia já afeta 6 em cada 10 jovens estudantes universitários catalães.

Segundo esses especialistas, os menores são um grupo vulnerável, pois possuem um sistema visual em evolução e menor capacidade de gerenciar a si mesmos ao usar ecrãs.

O reitor da FOOT, Joan Gispets, disse que “temos evidências científicas que mostram que o aparecimento da miopia tem uma relação muito clara com o ambiente visual, especialmente em crianças e adolescentes”.

“As condições do confinamento seguem a linha oposta aos hábitos que ajudam a impedir o seu aparecimento, embora não possamos ter dados, mas é muito provável que o confinamento tenha um impacto real na incidência de miopia entre nossos jovens”.

Nesse sentido, com o objetivo de sensibilizar a população sobre esse problema e oferecer ferramentas de prevenção, a FOOT elaborou um decálogo com recomendações destinadas a fazer bom uso das telas e prevenir problemas visuais de saúde, adaptando as condições em que os ecrãs são usados e para compensar a superexposição com atividades físicas ou criativas que estimulam a comunicação e a socialização.

Entre as dicas, recomenda-se limitar o tempo de uso dos ecrãs de acordo com a idade, com um máximo de uma hora por dia em crianças pré-escolares, entre 3 e 4 horas por dia em crianças em idade escolar e um máximo de 6 horas por dia em adolescentes.

Especialistas também apontam a importância da iluminação ambiente e indicam que ela é alta no local de trabalho, o que nem sempre acontece em casa.

Além disso, a iluminação e o contraste da tela devem ser ajustados ao máximo e deve evitar-se sentar de costas para a janela para evitar reflexos no ecrã.

Por outro lado, é necessário evitar distâncias muito próximas do ecrã: segundo especialistas, no caso de telemóveis e tablets, a distância não deve ser inferior a 30 cm e, no caso de computadores, o mínimo deve ser 50 cm.

Ficam as dicas!

Leave a Reply

Obrigado por te juntares à Tribo!

Algo está errado! Tenta de novo, por favor!

A Casa do João will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.
%d bloggers like this: