Egipto move estátuas antigas para o Cairo

Apesar das reclamações dos arqueólogos, o governo egípcio transferiu quatro estátuas antigas de um templo de 4.000 anos e colocou-as no centro de uma movimentada rotunda no centro do Cairo.

As estátuas que foram movidas são esfinges. Uma estátua de esfinge tem o corpo de um leão e a cabeça de outra criatura. As esfinges que foram movidas têm cabeças de carneiro – ovelha macho.

As esfinges estavam entre as mais de mil estátuas do templo de Karnak, em Luxor, no Egito. O Templo de Karnak foi iniciado há mais de 4.000 anos e a construção continuou por um período aproximado de 2.000 anos. O templo cobre mais de 247 acres (0,4 milhas quadradas, 1 quilômetro quadrado).

O governo colocou as esfinges no centro da rotunda, na Praça Tahrir. A Praça Tahrir é uma praça famosa e movimentada no centro do Cairo.

As esfinges juntam-se a uma grande coluna de pedra que o governo colocou na praça em fevereiro. A coluna foi escavada noutro local arqueológico no Egito.

Um grupo de arqueólogos processou os membros do governo egípcio, dizendo que o governo está a danificar o templo de Karnak ao remover quatro esfinges importantes. O governo, por sua vez, diz que as esfinges foram retiradas do interior do templo e não fazem parte das mais famosas que alinham as entradas do lado de fora do templo.

Khaled El-Enany, ministro de antiguidades do Egito, refere que várias capitais europeias como Roma, Paris e Londres têm estátuas famosas do Egito em exposição nas principais áreas turísticas. O ministro acredita que levar as estátuas antigas para a Praça Tahrir atrairá turistas e “dar-lhe-á valor histórico”.

Monica Hanna, que faz parte do grupo que está a processar o governo, diz que a medida quebra um acordo internacional destinado a proteger património antigo e teme que as esfinges sejam danificadas se permanecerem no Cairo.

“Essas estátuas são feitas de arenito e vêm de Luxor, onde o tempo está seco”. “Quando eles são colocados no Cairo, a segunda cidade mais poluída do mundo, que os destruirá.”

Hanna sugeriu que, em vez disso, o governo deveria usar novas esfinges a imitar as antigas.

Outras pessoas estão contra as esfinges na praça por outras razões. A Praça Tahrir foi o ponto central de um grande movimento de protesto no Egito em 2011. Esse protesto forçou o presidente Hosni Mubarak a abdicar da presidência.

A praça é importante para muitas pessoas como um símbolo da luta do Egito pela liberdade. Mas esse não é um símbolo que o governo queira preservar. Há anos, a Praça Tahrir tem sido cuidadosamente vigiada pela polícia. Os protestos não são permitidos.

As quatro esfinges estão atualmente em grandes caixas de madeira na praça. El-Enany diz que as esfinges permanecerão em suas caixas até serem reveladas.

Não está claro quando isso vai acontecer. O Egito ainda está encerrado, embora muitas das regras tenham sido atenuadas para o mês sagrado do Ramadão.

Leave a Reply

Obrigado por te juntares à Tribo!

Algo está errado! Tenta de novo, por favor!

A Casa do João will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.
%d bloggers like this: