Alunos chineses regressam à escola usando chapéus especiais

Na China, as crianças voltaram à escola e estão a usar “chapéus sociais de distanciamento” especialmente concebidos para mantê-las seguras.

O boné criativo, chamamado de “chapéu de um metro”, garante o regresso dos alunos depois de vários meses fora do espaço escolar, ajudando a impedir a propagação do COVID-19.

Quatro turmas de alunos do primeiro ano da Escola Yangzheng, em Hangzhou, capital da província de Zhejiang, no leste da China, foram autorizadas a regressar às aulas esta semana, com bastantes restrições.

Cada uma das crianças pôde ser vista usando uma máscara cirúrgica e um “chapéu social de distanciamento”, que possui uma ferramenta de medição de um metro de comprimento para os lados. A maioria destes chapéus é feita de papelão, mas pelo menos uma garota criativa a fez usando balões para fazer animais com balões, mostram as imagens.

O vice-diretor Hong Feng disse à comunicação social local:

“Essa foi a nossa própria ideia criativa.

“Isso nos ajuda a promover nosso slogan: ‘Use um chapéu de um metro, mantenha uma distância de um metro'”.

Para garantir que as crianças em idade escolar mantenham práticas de higiene apropriadas, os alunos não podem ter contato físico entre si e não podem quebrar o chapéu. É obrigatório o uso de máscaras cirúrgicas, e os alunos também devem ser submetidos a exames regulares de temperatura.

Como as infecções por COVID-19 aumentaram na China no final de janeiro, escolas e universidades foram instruídas a não reabrir após o término do feriado do Ano Novo Chinês em 29 de janeiro. As aulas foram transferidas para a Internet e as autoridades municipais de toda a China puderam retomar progressivamente, conforme as condições locais.

Alunos do ensino fundamental e médio no último ano voltaram às aulas a 13 de abril e alunos do quarto, quinto e sexto ano do ensino fundamental a 20 de abril. As creches devem reabrir em 6 de maio.

Zhejiang continua a ser a região com o terceiro maior número de casos de coronavírus na China, depois das províncias de Hubei e Guangdong.

A comissão provincial de saúde registou 1268 casos no total e uma morte, enquanto o último caso registrado de sua capital, Hangzhou, foi um paciente importado assintomático a em 20 de abril.

Fonte: The Sun

Fotos: Zhejiang Daily via @SixthTone/Twitter

Leave a Reply

Obrigado por te juntares à Tribo!

Algo está errado! Tenta de novo, por favor!

A Casa do João will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.
%d bloggers like this: