A importância dos Clubes de Leitura

Uma análise atenta ao panorama geral no que toca à leitura poderá resultar na penosa conclusão de que cada vez se lê menos. Esta conjetura tem as suas variáveis, mas é fácil perceber que o ser humano tem desenvolvido uma tendência pelo mundo do digital e pelas suas aplicações, abdicando de um bem cultural com valor incalculável como o é o livro. Ler pelo simples prazer de o fazer é cada vez menos habitual, pelo que o comprar um livro deu lugar à aquisição de um smartphone ou de um tablet e o folhear de um livro deu lugar a um scroll por uma qualquer rede social.

Ler é, hoje em dia, uma atividade desempenhada por diferentes motivos: lemos porque temos de estudar uma obra literária para um teste escolar, lemos porque determinado livro nos ajudará a desempenhar melhor a nossa profissão ou lemos porque um amigo nos sugeriu um romance, um policial ou uma obra filosófica que poderá mudar a forma como encaramos as nossas vidas. Independentemente do motivo pelo qual o façamos, o processo de leitura deveria ser encarado como um caminho de descobertas e aprendizagens que nos trará um bem inqualificável: o conhecimento. Convém lembrar que, não há muito tempo atrás, era através do livro que se herdavam fórmulas e conceitos relacionados com áreas importantes para a nossa sociedade, como por exemplo a ciência ou a filosofia. Felizmente, há ainda quem sinta um enorme apreço pelo livro e pela leitura. Tanto eu como o/a leitor/a, que o sentimos, devemos ser capazes de realizar um juízo acerca de nós próprios. Esta reflexão deverá servir para responder a duas questões fundamentais: lemos o suficiente? Se sim, incentivamos os que nos são próximos a fazê-lo?

Convém desconstruir ambas as questões. Não há qualquer indicativo que nos diga quantos livros devemos ler numa semana, num mês ou num ano. Este conceito de suficiente deverá ser um equilíbrio consciente e interno através do qual consigamos alcançar dois objetivos: satisfazer o nosso gosto pela leitura e obter conhecimento. Há quem consiga o que é referido anteriormente lendo compulsivamente e aproveitando qualquer minuto para o fazer e há também quem o faça tendo por hábito ler apenas em pontuais momentos de lazer. O importante, reitero, é que todos sejamos capazes de ler, pelo menos, aquilo que achamos ser o suficiente. E que o que achamos ser suficiente hoje o passe a não ser amanhã. Devemos ser capazes de nos desafiar e de querer conhecer sempre mais. Explorar sempre mais. E podemos fazê-lo através da leitura, cientes de que ler um livro é percorrer uma história através do olhar e dos sentimentos do seu autor. É igualmente da nossa responsabilidade incentivar e incutir o hábito pela leitura aos que nos são próximos. É ideia geral que devemos motivar as crianças a ler, isto porque esta atividade os ajudará no seu desenvolvimento cognitivo e académico. Não obstante, esta motivação deve abranger qualquer faixa etária e não apenas os mais pequenos. É fundamental que a leitura seja uma atividade presente na vida de qualquer pessoa, pondo de lado fatores como a idade, ocupação ou realidade económica. Ler permite que viajemos à boleia da escrita de um determinado autor, tudo sem sair do nosso lugar. É através da leitura que exercitamos, estimulamos e alimentamos o nosso cérebro, algo que devemos fazer seja com dez, vinte, trinta ou oitenta anos.

O incentivo à leitura e à partilha de opiniões relativas à literatura tornou-se mais acessível com a criação dos Clubes de Leitura. Ao percorrermos o mapa do nosso país são vários os clubes já existentes de norte a sul do mesmo, pelo que experimentar um destes espaços não deve depender de um onde, mas sim de um quando. Qualquer momento é ideal para comparecer a um Clube de Leitura. Neste, irá encontrar outras pessoas para quem ler é mais do que uma simples atividade e, assim, poderá observar um crescimento a nível pessoal e a nível cultural. Os Clubes de Leitura adaptam-se ao seu público e, de certa forma, são o que este pretender que seja. Por exemplo, há Clubes de Leitura dedicados exclusivamente ao publico infantojuvenil onde se procede à leitura de contos e fábulas que o possa transportar para o seu imaginário. Ou Clubes de Leitura onde o publico mais adulto se reúne e discute as ideias e as conclusões relativas a um determinado autor ou uma determinada obra. Estes projetos de cariz sociocultural e educativo são maioritariamente municipais, pelo que deverão ser apostas de uma biblioteca perto de si. Experimente e leve as suas crianças, um familiar ou um amigo. Está ao nosso alcance fazer com que um objeto que nos é tão querido reconquiste, cada dia um pouco mais, a importância que lhe é merecida. Ao participarmos nestes Clubes de Leitura, exultamos o livro e tudo o que lhe é acessório. Aceitemos o desafio de diminuir o que nos é suficiente e, assim, aumentar o nosso hábito pela leitura. Deixemo-nos contagiar pelo mote dos Clubes de Leitura e façamos com que o seu propósito conquiste adeptos dia após dia. Página após página. Livro após livro.

João Caçador

Leave a Reply

Obrigado por te juntares à Tribo!

Algo está errado! Tenta de novo, por favor!

A Casa do João will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.
%d bloggers like this: