Smartphones e tablets por instrumentos musicais!

A estratégia adotada por muitos pais para acalmar seus filhos é dar-lhes um tablet ou um smartphone, reduzindo-se, com este comportamento, as brincadeiras ao ar livre a atividades manuais.

Esta atitude é contestada pelo neuropsicólogo espanhol Álvaro Bilbao, que no seu livro El cerebro del niño explicado a los padres garante que, se queremos criar crianças mais inteligentes, devemos substituir os tablets por instrumentos musicais.

Isto porque, de acordo com um estudo publicado na revista “Psiquiatría Molecular”, 50% da inteligência da criança é determinada pelos genes, mas os outros 50% dependem dos estímulos que recebem. Ora, segundo Álvaro Bilba, a música estimula mais a capacidade de raciocínio das crianças do que a tecnologia.

Por outro lado, os pais têm um papel importante na inteligência de seus filhos pelo que a oferta educativa que dão aos filhos é crucial. “A chave do desenvolvimento potencial do cérebro da criança está na sua relação com os pais. Ainda que a genética tenha um peso importante, sem essa presença não se materializa”, diz Bilba.

Em artigo da revista “O Segredo”, Luiza Fletcher enumera algumas estratégias defendidas por especialistas para desenvolver a inteligência das crianças:

Estudar música

Um estudo de investigadores da Universidade de Toronto, no Canadá, e publicado na revista “Psychological Science”, relacionou o desenvolvimento cognitivo com o estudo e a aprendizagem de música, comparando três grupos de crianças de seis anos que estudaram, separadamente, durante um ano, canto, piano e expressão dramática com outras que não o fizeram. As crianças que se dedicaram a estudar música foram as que mostraram maiores padrões de inteligência.

Menos televisão

No passado, diversos especialistas afirmavam que alguns filmes (ditos “culturais”) ajudavam a estimular a inteligência das crianças, mas essas teorias foram desmentidas por estudos internacionais recentes. A Associação Americana de Pediatria, por exemplo, recomenda que crianças com menos de dois anos não devem ter qualquer contato com televisão.

Evitar jogos que afirmam ajudar no desenvolvimento cerebral

Recentemente têm surgido muitos jogos eletrónicos e aplicações móveis que afirmam ajudar no desenvolvimento do cérebro e da memória. No entanto, a maioria deles não são testados cientificamente, carecendo de sustentação e evidência científica.

Assistir a filmes/documentários em línguas estrangeiras

As crianças que assistem desde muito cedo a filmes ou documentários em línguas estrangeiras tendem a adaptar-se mais facilmente a outros vocábulos e a outros sons, desenvolvendo maiores competências no domínio de línguas que não a(s) sua(s).

Ler histórias antes de irem para a cama

Ler histórias para os filhos ao deitar é importante, sobretudo se houver participação e interação com eles. Por exemplo, o pai lê uma página e o filho outra, alternadamente. Segundo um estudo canadiano, esta prática ajuda as crianças a melhorarem a sua capacidade de aprendizagem.

Afinal, para acalmar as crianças há alternativas bem mais simples do que facultar-lhes um tablet ou um smartphone.

Basta dar-lhes música, tempo e companhia.

De preferência ao ar livre.

Et voilá!

Leave a Reply

Obrigado por te juntares à Tribo!

Algo está errado! Tenta de novo, por favor!

A Casa do João will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.
%d bloggers like this: